Cardioversão é um método utilizado para restaurar um ritmo cardíaco anormal. Pode ser feito usando um choque de energia (cardioversão elétrica) ou medicamentos (cardioversão farmacológica). A cardioversão elétrica externa usa um aparelho chamado desfibrilador, no qual eletrodos são colocados na região anterior do tórax, para o monitoramento dos batimentos cardíacos. Quando as pás do desfibrilador são aplicadas ao tórax, um choque de energia é entregue ao coração. Este choque interrompe todas as atividades elétricas existentes no coração, permitindo que o ritmo cardíaco retorne ao seu estado normal ou fisiológico.




Indicações para cardioversão elétrica externa

Uma cardioversão externa pode ser necessária durante uma situação de emergência. Alguns ritmos anormais, como taquicardia ventricular ou fibrilação ventricular podem ser fatais. Um choque pode salvar uma vida.

As pessoas que têm uma arritmia (normalmente fibrilação atrial), de início há no máximo 48horas, e que não pode ser controlada com medicamentos, podem precisar de uma cardioversão. Idealmente, mas não obrigatoriamente, um ecocardiograma transesofágico é realizado para se certificar que não há formação de coágulos de sangue no coração. Algumas pessoas podem necessitar o uso de anticoagulantes antes e após o procedimento de cardioversão. Para as cardioversões elétricas, sempre será administrado um sedativo antes de iniciar o processo.

Após a cardioversão, é comum o uso de medicamentos anticoagulantes e antiarrítmicos, para prevenir a formação de coágulos e nova recidiva da arritmia.